domingo, 9 de janeiro de 2011

SADO HEAVY


Estava chovendo,e dai?

Parada ali,encostada no para peito do viaduto da Av.Paulista olhando o movimento dos carros lá em baixo.

Uma faixa levava para a Av.Rebouças,a outra levava para a Av.Dr.Arnaldo.

Eu abraçava o meu material do cursinho e ficava olhando lá para baixo.

Seria tão fácil resolver aquilo!Era só me inclinar um pouco mais para frente e pronto!

Tudo acabado!Fim do sofrimento!Fim dessa vida sem sentido,desse vazio inútil que chamam de existência!

A água da chuva escorria pelo meu rosto,fazendo gotas pingarem pela ponta do meu nariz.

Minha franja estava toda escorrida,minha roupa estava ensopada.

Mas eu estava ali,parada,sob a chuva,olhando os carros lá em baixo!

Notei que uma senhora falava com um policial sob uma marquise do outro lado da avenida.

Ela falava com ele e apontava para mim.

Também pudera!Seria algo normal alguém parado junto ao para peito de um viaduto,salvo se não fosse aquela chuva forte!

O policial começou a andar na direção da faixa de pedestres,mas parecia não estar nem um pouco animado para sair debaixo daquela chuva para ir falar comigo.

Ate então o que eu menos queria era um escândalo com a polícia bem no meio da Av.Paulista!

Me virei lentamente,atravessei a avenida e fui para o ponto da Rebouças esperar o meu ônibus.

Cheguei em casa no final da tarde,toda molhada,tremendo de frio.

Entrei em casa,minha mãe estava no telefone com alguma amiga,cigarro entre os dedos,falando mal do meu pai.

Ela nem notou que eu estava toda molhada!Aliás,ela não me notaria nem se eu entra-se em casa dentro de um caixão!

Passei pelo quarto de minha irmã.

Como sempre,ela estava brigando com meu irmão.

Insultos e baixarias da pior espécie...

Tomei um banho quente e comi o que restava do jantar.

Era sempre assim!O resto da comida ficava para mim!

Um fundo de arroz na panéla,um pedaço de bife duro e ensebado na fregideira.

Seria fácil acabar com aquilo que chamam de existência!Só me faltava coragem!

Quando anoitecia eu entrava na internet para falar com a "Su".

Su era a minha única amiga,a única menina com a qual eu conversava no cursinho.

Passávamos horas ali,repassando o que acontecia no cursinho e eu reclamando da vida!

Uma noite ela me disse:

- Quero te apresentar alguns amigos diferentes,saímos do cursinhos e vamos para a minha casa.

Amigos diferentes?O que ela queria dizer com "amigos diferentes"?

No dia seguinte saímos do cursinho e fomos para a casa dela.

Entramos no seu quarto e ela trancou a porta.

Puxei uma banqueta para sentar-me em frente ao pc com ela.

- Que amigos diferentes são esses? - perguntei -

- Primeiro vou te apresentar uma pessoa especial!- disse ela abrindo um provedor de relacionamento -

- Atenção!- disse Su,fazendo o login -,te apresento a minha amiga "Ardente Desejo"!

A pagina que havia aberto mostrava uma foto de uma mulher usando um vestido de noite vermelho que deixava a parte da coxa á mostra em uma pose bem sensual.

- O que é isso Su?Um fake?

- Sim!

- Seu?

- Sim!- repetio ela sorrindo -

- Praque você tem um fake?

- Para poder ficar junto dessas pessoas.- disse ela passando o cursor sobre a relação de amigos-

Quando prestei atenção,percebi que todas as pessoas que estavam ali usavam fakes!

Eram imagens semelhantes as que Su usava,ou,imagens de guerreiras,deusas,guerreiros,magos,bruxos,personagens de historias em quadrinhos e uma série de outras tantas imagens que simbolizavam personagens especiais.

Os nomes que usavam então nem se fala!

Lordes,senhores,Dommes,Mistress,sub,submissa,submisso,dominadora,Dom,e por ai vai!

- Não estou entendendo nada Su!- disse enquanto lia os nomes -

- Acho que essas comunidades podem explicar melhor!- disse ela apontando o cursor sobre a relação de comunidades -

-"Amo o meu dono?"

-"Mulheres amarradas?"

-"Fetiche,amarrar?"

-"Controle da mente,sadomasoquismo em grupo,soft bondage?"

Olhei pasma para Su.

- Você é sadomasoquista Su?

- Ah - começou ela enquanto visitava algumas paginas de amigos-,eu curto,simpatizo.

- E você acha que esse tipo de gente vai me fazer sentir melhor?

- Pelo menos aqui as pessoas são amigas de verdade!O mundo BDSM foge totalmente ás regras do mundo comum!

- Como em todo lugar tem sempre aqueles que mancham a reputação do grupo como curiosos,idiotas,tarados,pessoas sem carater!

- Mas os praticantes sérios são ótimas pessoas!

- Tudo bem!Mas,o que isso tem a ver comigo?

- Você terá amigos que irão gostar de você de verdade!Vão te respeitar,vão te ajudar!

- Não sei -respondi -,acho tudo isso muito estranho!

- Que nada!Você vai ver!Vai ser divertido!Quem sabe você arruma um dono?

- Dono?

- Sim!Um dono!Alguém para cuidar de você!

- Como "dono"?Não entendi!

- Você seria uma escrava,pertenceria a alguém!

- Isso é loucura!- disse em tom de zombaria -

- Olha,vamos fazer um perfil para você,eu te apresento para algumas pessoas,dai você segue em frente!

Relutei um pouco no começo mas terminei por concordar com Su.

Montamos um fake para mim.Depois de vários nomes escolhi "Solitaria Sub".

E entre várias fotos escolhi a imagem de uma menina gótica com olhar triste.

Adicionamos algumas pessoas,comunidades,e pronto!Do dia para a noite me transformei em uma sadomasoquista!

O pior é que eu não sabia nada sobre aquilo!Só tinha ouvido falar á respeito!

Su foi me orientando sobre como me portar e falar com aquelas pessoas.

Fiz um messenger com o mesmo nome e adicionei muitas daquelas pessoas,inclusive Su.

Ficava ate tarde da madrugada conversando com elas.

Realmente,as pessoas ali eram diferentes!

Eram mais cultas,mais educadas,mais respeitosas.

Tirando fora o que eles chamavam de "baunilhas" ou curiosos,tudo corria muito bem!

Certa vez Su me apresentou uma nova comunidade;"Mulheres Submissas".

Passado alguns dias ela me deixou um recado dizendo;

-"Vá na comunidade das mulheres,tem um dominador serio lá em busca de escravas!"

Eu não queria ser escrava de ninguém!Minha vida já era uma merda!Imagine sendo escrava!

Mesmo assim fui ate a comunidade e dei uma olhada nos tópicos.

Encontrei um que dizia:

" Dominador serio procura escrava real para relacionamento,deixe seu messenger,Senhor Hordos."

Fiquei olhando a mensagem por alguns segundos,por fim,coloquei o meu endereço.

O que eu tinha a perder?

Durante uma conversa no menssenger eu disse para Su que havia deixado o meu endereço na comunidade.

- Ta brincando?Serio amiga?Nossa!Aquele dominador é linha dura!

- Tentei me aproximar dele uma vez e só por que o chamei de amorzinho ele nunca mais falou comigo!

- Por que?- perguntei -Ele é gay por acaso?

- Nada menina!!Senhor Hordos é um dominador serio!

- Duvido que ele vá me responder!- comentei -

Passado alguns dias eu abri meu messenger e recebi um convite de adesão com uma mensagem do "Senhor Hordos".

-"Descreva-se em dez palavras!"

Me descrever em dez palavras?Como assim?Eu não conseguiria me descrever nem em cinqüenta,quanto mais em dez!

Narrei o ocorrido para Su.

- O que devo responder?- perguntei aflita -

- Diga que você é fiel,dedicada,submissa,sincera,sei lá!

Fiquei ali parada olhando aquela janela aberta.

Por fim,resolvi responder com o coração!

-"Eu me sinto um nada,eu não sou ninguém!Por isso não tenho o que falar sobre mim!"

Enviei!Passavam de dez palavras,mas tudo bem,o que eu tinha á perder?

Ele nunca iria me escolher mesmo!Dane-se!

Como eu esperava,passaram-se semanas e nenhum sinal do Senhor Hordos.

Eu sabia!Eu não passava de um lixo mesmo!Nem gente da internet queria saber de mim!

Uma noite estava no messenger com Su e outras pessoas,quando de repente uma janela se abrio.

Era o Senhor Hordos!

-"Olá,boa noite."

Congelei!Escrevi para Su pedindo ajuda.

- O que eu faço???

- Calma menina!Em primeiro lugar,trate-o sempre por "senhor" e responda tudo o que ele perguntar.

- Esta bem!- respondi -

-"Boa noite senhor,seja bem vindo".

- Você se candidatou para ser uma escrava?

- Sim senhor.

- Já teve um dono?Já servio a alguém?

Su mandou responder que "sim".

- Não senhor,eu nunca fui escrava de ninguém ,senhor.

- Sabe o que é ser uma escrava?Tem ideia disso?

- Não senhor!

Minha carreira de submissa terminava ali!

- Tem certeza de que é isso que você quer?

Fiquei pasma!

- Sim,senhor!

- Muito bem!- respondeu Senhor Hordos -Então,vamos negociar os termos de sua submissão!

Um calafrio correu pela minha espinha!

Su festejava do outro lado me mandando os parabéns.

Senhor Hordos me estipulou horários,normas de conduta e uma série de outras coisas!

Eu não poderia falar com mais ninguém no messenger enquanto estivesse falando com ele,não poderia usar o "internetêz"( ele dizia que isso estagnava a cultura da pessoa!!),deveria ser sincera,fiel e pontual!

Ele me orientou a colocar na minha pagina do provedor junto ao meu nome,"Senhor Hordos,em negociação".

Para mim aquilo iria ficar sendo uma brincadeira na internet!O que eu tinha á perder?

Foram-se passando os dias,ate que em uma noite ele ordenou:

- Abra a cam,eu quero vê-la!

Congelei de novo!

- Abra a cam!- repetio ele -

Eu estava horrível!Eu era horrível!

Resolvi obedecer e mandei o convite da cam.

Quem sabe,depois que ele me visse desistiria de mim!

Mandei o convite,ele aceitou.

Minha imagem se abrio na tela dele.

-"Olhe para mim."

Eu olhei para a câmera.

- Fique de pé!

A seqüencia eu já sabia!Iria me mandar tirar a roupa!

Fiquei de pé.

- Dê Uma volta!

Eu me virei lentamente e parei de frente para o pc.

- Ótimo!Pode fechar a imagem!

???

Só isso?Seria só isso?Ele não ia me mandar tirar a roupa?

Eu sabia!Eu sou horrível!

Ele iria desistir de mim!

Eu me sentei e fechei o sinal da cam.

-"Me perdoe por tê-lo decepcionado"!- escrevi -

- Nunca mais diga isso!!!- respondeu ele -

- Desculpe.

- Vá no seu perfil e no lugar de "negociação" coloque,"Sob avaliação".

Su quase teve um surto do outro lado do pc!

- Eu não acredito!!Ele vai avaliar você!!!

Para mim continuava uma brincadeira da internet!O que eu tinha á perder?

Senhor Hordos mostrava-se ser um homem culto.

Durante todo o tempo em que nos falamos na internet ele nunca dissera um palavrão,uma baixaria.

Eu percebi que ele condusia a conversa de modo a ver ate onde chegava o meu nível cultural.

Em uma noite ele me disse:

- É chegada a hora de nos conhecer-mos pessoalmente!

Fiquei paralizada no teclado.

Senhor Hordos me mandou um sinal de cam e eu aceitei.

Pela primeira vez em quase setenta dias eu iria ver o rosto daquele que viria a ser o meu dono.

A imagem se abrio.Surgiu o rosto de um homem de meia idade.Lembrava muito Kevin Bacon.

Fiquei imprecionada com a aparência de Senhor Hordos!

- Quero me encontrar com você!

- Sim senhor!Onde e quando?

- Na proxima sexta feira, as desenove horas ,no saguão so shopyng.

Estava fácil!

- Sim senhor!Sexta feira ás desenove horas,no saguão do shopyng!

- Eu irei vestindo...

- Você ira vestir - cortou ele -,uma camiseta branca,uma mini saia bem curta e sem calcinha!

Ficou difícil!

- Camiseta,mini saia curta e sem calcinha??

- Sim!

Su dizia do outro lado para mim aceitar.

- Sim senhor!Estarei lá!

Loucura!O que eu estava fazendo?

Aceitando o convite de um possível tarado??

Su disse que iria comigo e que ficaria escondida.

Chegou a sexta feira.Vesti uma camiseta branca,peguei uma mini saia escondida de minha irmã( ela gostava de usar roupas vulgáres)e dispensei a calcinha.

Su e eu chegamos ao shopyng perto das desenove horas.

Nós nos separamos e eu fiquei no saguão a espera de Senhor Hordos.

Eu o reconheci vindo em minha direção.

Ele se vestia um preto social.Trazia uma sacola de compras em um dos pulsos e uma pilha de pacotes nas mãos.

Quando se aproximou disse apenas um "Ola" seco.

- Olá,senhor!

Mas nem um beijinho no rosto?

- Você foi pontual!Gostei!

- Obrigada ,senhor.

- Ótimo!Agora,estenda as mãos!

Fiquei confusa,mas obedeci,estendendo os braços com as mãos espalmadas para cima.

Senhor Hordos colocou os pacotes sobre elas.Ate que não estavam tão pesados!

- Muito bem!- começou ele -Quero que suba ate o primeiro andar,ande por todo o passeio junto ao para peito e volte para cá!

Fácil! Mas achei estranho aquilo.

- Sim senhor,vou pegar o elevador.

- Você irá pela escada rolante!

Ficou difícil!

Mini saia,sem calcinha,de escada rolante...

- Mas...- tentei argumentar -

- Suba pela escada,vá ate o primeiro andar,ande pelo passeio e volte aqui!

Repetio ele.

Senti meu rosto esquentar!Dei meia volta e comecei a ir em direção as escadas rolantes!

Mesmo antes de chegar lá já começava a ouvir os gracejos dos homens!

Os homens são todos uns idiotas!Basta usar uma mini saia e eles saem fazendo festa!Ate uma coisa ridícula como eu!

Pisei no degrau da escada e comecei a subir!

Com certeza Senhor Hordos deveria estar se divertindo com aquilo tudo!

Só depois atraves de Su eu viria a saber que enquanto eu subia as escadas ele havia se voltado para um carro de corridas que estava em exposição no saguão do shopyng e que durante toda a minha subida ele havia ficado conversando com uma garota vestida de piloto!

Eu sentia minha bunda e minha vagina toda á mostra e não tinha como segurar a barra de tráz da saia devido aos pacotes que eu levava!

Estava nervosa,envergonhada,constrangida,humilhada!

Tive que ficar ouvindo cantadas e gracejos dos homens que estavam logo atráz de mim!

Cheguei ao primeiro andar.Os gracejos e cantadas continuavam!

Sorte minha não ter ido de salto,senão com certeza iria tropeçar de nervoso!

Dei a volta em todo o passeio do primeiro andar e fui ate as escadas que desciam.

Senhor Hordos me aguardava no pé da escada com um olhar indiferente.

Eu estava morrendo de ódio dele!

- Muito bem!- começou ele -Me de os pacotes.

Ate já sabia!Agora iria me levar para um motel!

- Nos falaremos amanhã a noite no mesmo horário!

Ele disse isso,deu meia volta e se foi!

Fiquei ali parada,sem entender nada!

Su se aproximou de mim a tempo de vê-lo saindo pela porta da frente.

- E então?- perguntou ela -

- Esse cara é louco!Ele me manda vir aqui,de mini saia,sem calcinha,me manda subir as escadas,passear com um monte de pacotes,para depois ir embora!

- E o que tem isso ?- perguntou Su -

- Pensei que ele fosse querer me levar para um motel,sei lá?

- Amiga,ele esta te avaliando!

- Isso é loucura!Eu é que não vou mais me meter com esse cara!Chega!

- Olha amiga - disse Su -,vamos aproveitar que estamos aqui e vamos dar uma volta,olhar algumas lojas,ir ao cinema...

- Ta louca?Eu estou sem calcinha!Eu vou é para casa!!

Na noite seguinte eu estava no messenger com Su.

Tomei a decisão de nunca mais falar com Senhor Hordos!

Eu iria ignorá-lo,eu iria humilhá-lo,eu iria...

-"Olá,boa noite."- escreveu ele -

- Boa noite ,senhor!

Eu não iria fazer nada!!!

Conversamos muito naquela noite e antes de sair ele ordenou:

- Faça uma declaração pública em seu perfil dizendo que sou seu dono e que agora você usa a minha coleira,coloque meu nome entre dois colchetes,isso significa que você agora me pertence.

Su morreu de inveja e praguejou pelo fato de não ter conseguido um dono ainda.

Por um instante eu senti um pouco de medo!Aquilo já não parecia tanto com uma brincadeira de internet!

Mas,o que eu tinha á perder?

Certa noite durante uma conversa Senhor Hordos me disse:

- A partir de agora quero que o nosso relacionamento seja real!

- Sim senhor.

- Devo avisá-la de que sou um dominador sádico.

- Sim senhor.

- Você sabe sobre o que estou falando?

- Não tenho muita certeza,senhor.

Senhor Hordos me explicou sobre o que seria ser um dominador sádico e uma submissa.

- Entendeu o que lhe disse?

- Sim senhor.

- Quer continuar em frente?

- Sim,senhor.

- Muito bem!Anote meu endereço e esteja em minha casa na proxima sexta feira as vinte horas em ponto!

Dali em diante Su não poderia mais me acompanhar.

Eu iria sozinha ate a casa de Senhor Hordos!

E dai?O que tinha á perder?Minha vida era uma merda mesmo!

Na sexta a noite enquanto estava no ônibus indo para a casa de Senhor Hordos eu pensava no que havia conversado com Su.

O que um homem como aquele poderia querer com uma mulher como eu?

Eu era horrivel!

- Tá de brincadeira??- disse Su aquele dia no shopyng -,você tem um corpo lindo!

- Eu daria tudo para ter essas pernocas suas!Você só não se arruma direito!

- Minha mãe e minha irmã dizem que sou feia,meu irmão me chama de feiosa!

- Mande eles irem á merda!- retrucou ela -

Cheguei no endereço.Por via das dúvidas havia deixado uma cópia com Su,caso algo acontece-se.

Era um prédio antigo de quatro andares em Cerqueira Cesar,proximo ao cemitério da Consolação.

Tomei o elevador ate o terceiro andar.

Cheguei diante da porta,toquei a campainha.

Ouvi o barulho da tranca se abrindo,a porta se abrio,Senhor Hordos apareceu.

- Muito bem,pontual!Entre!

Entrei.

O apartamento era amplo,antigo,portas altas.

Fiquei de pé no meio da sala.

- Venha ate aqui!- disse Senhor Hordos -

Eu o acompanhei ate outro cômodo.

Ali eu vi toda sorte de aparelhos de tortura!

Cordas,correntes,chicotes,grilhões,palmatórias e mais uma infinidade de objetos que não sabia o que eram.

Comecei a ficar com medo.

- Tire sua roupa!- ordenou ele -

Fiquei paralizada,sem ação!

- Olhe Denise - começou ele -,concordamos que você seria minha escrava e iria me obedecer em tudo,certo?

- Sim ,senhor.

- Então,ou continuamos daqui,ou paramos por aqui!

- Sim,senhor.

- Então,tire sua roupa!

Coloquei minha bolsa sobre uma cadeira e fui tirando minha roupa,peça por peça.

Senhor Hordos foi para uma bancada junto á parede para pegar algo enquanto eu me despia.

Quando terminei usei as mãos para cobrir meu púbis e os seios.

Eu estava morrendo de vergonha!O que eu estava fazendo ali??

Por que estava fazendo aquilo??

Senhor Hordos voltou.

Ele trazia nas mãos algumas peças metálicas.

Eram pares de grilhões.Um deles tinham duas ástes grandes de metal,os outros tinham um pedaço de cano de ferro que os unia.

Ele os jogou no chão,voltou ate a bancada e trouxe um pequeno quadro de madeira,um estrado de uns cinqüenta centímetros de diâmetro com várias travessas triângulares.

- Solte os braços ao longo do corpo!- ordenou -

Eu o fiz,deixando meus seios e meu púbis á mostra.

Comecei a tremer.

- Abra a boca!- ordenou ,e eu abri -

Senhor Hordos enfiou um pedaço de esponja na minha boca e em seguida colocou em mim uma mordaça de couro com tiras que envolveram minha cabeça e meu rosto.

Ele afivelou as tiras na parte de tráz de minha cabeça apertando com força.

Agora estava amordaçada,na casa de um homem que mal conhecia!

E se ele fosse um tarado?E se ele fosse um maníaco?

Agora era tarde!

A mordaça apertava o meu rosto!

Em seguida ele pegou os grilhões com as ástes.Colocou as ástes ao redor da minha cintura e as fechou com um cadeado .

Prendeu meus pulsos nos grilhões me obrigando a ficar com os braços esticados ao longo do corpo.

A dobradiça da áste havia beliscado a pele da minha cintura e estava me machucando!

Queria que Senhor Hordos olha-se para mim,para tentar fazer um sinal e avisar a respeito daquilo,mas ele não me olhava no rosto!

Eu gemi,uma,duas vêzes,mas foi em vão!

O outro grilhão ele prendeu acima dos meus joelhos,me obrigando a ficar com as pernas afastadas.

Em seguida ele colocou o pequeno estrado de madeira á minha frente e ordenou:

- Suba aqui!

Eu andei com dificuldade devido a trave entre minhas pernas.

Mantive o olhar no rosto dele.Quem sabe ele olha-se para mim e eu poderia alertar sobre a minha cintura.

Nada!

Subi no pequeno estrado.

Assim que firmei os pés sobre as travessas triângulares comecei a sentir a dor e o desconforto que elas causariam em mim.

O que faltava agora?Estupro?

Senhor Hordos se aproximou de mim.Era a chance de fazer algum sinal .

- O que você fizer de sujeira aqui - disse ele -,você ira limpar!

Ele disse isso e deu meia volta,indo em direção a uma outra porta.

Eu gemi,gemi mais alto,mais uma vez!Mas ele não se voltou!

Abrio a porta e entrou no outro cômodo,fechando-a atráz de si.

Fiquei ali.Não conseguia mover meus braços,não conseguia gritar,minha cintura doia com o beliscão da dobradiça!

As sólas dos meus pés estavam doendo sobre as travessas triângulares

Tive vontade de descer de lá!

Mas,e se ele estivesse espiando?Se aquilo fosse um teste?

Meus pés doiam!Uma dôr incômoda,insuportável!

Os grilhões acima dos joelhos também estavam apertados e machucando minha coxa!

Eu movia a cintura na esperança de soltar o beliscão da dobradiça,mas cada vez que eu me movia ele apertava mais e mais!

Dôr!Sofrimento!Comecei a entrar em desespero!

Me arrependi amargamente de ter ido ate la!

O que eu estava fazendo ali?Por que me submetia á aquilo?

Que loucura era aquela?

O tempo passou lentamente.

Minhas pernas tremiam,o beliscão doia,machucava!

Meus pés latejavam horrivelmente!

Eu chorava de dôr,de arrependimento!

Queria que aquilo acaba-se!

Para piorar minha situação,eu estava louca para urinar!Havia segurado no caminho com a intenção de usar o banheiro de Senhor Hordos,mas ele não me deu tempo para isso!

Segurei o quanto pude,ate que não aguentei mais e urinei ali mesmo!

Para minha infelicidade,bem no momento em que eu urinava,Senhor Hordos abrio a porta da outra sala e saiu.

- Sua porca!! - esbravejou ele,vindo rápido em minha direção -

Eu tentei segurar o restante que tinha na bexiga,mas a visão de Senhor Hordos vindo em minha direção foi tão assustadora que acabei soltando o resto!

Eu gemia e chorava!

- Sua porca!vadia!- gritava ele -

Senhor Hordos soltou os grilhões das pernas e das mãos.Tirou a mordaça e agarrou o meu cabelo com força.

- De joelhos!- ordenou,ríspido -

- De joelhos vagabunda!

Eu tremia e chorava!Eu me ajoelhei.

- No chão!cara no chão!!- berrou ele forçando minha cabeça em direção ao piso -

Ele encostou o meu rosto na poça de urina.

- Agora,lambe!!

Eu chorava!

- Lambe vagabunda!Eu disse que você iria limpar a sujeira que fise-se!

- Lambe!!

Vagarozamente eu fui colocando a língua para fora da boca,ate tocar o solo e a minha própria urina!

- Lambe!!Tudo!!

Eu lambia a urina do chão,meu estômago começava a virar!

Se eu vomita-se ali com certeza ele me faria comer!

Me segurei!

Senhor Hordos levantou minha cabeça puxando pelos cabelos,enfiou o dedo na minha cara e berrou:

- Isso é para você aprender a deixar de ser porca!!Ouviu??Ouviu??

- Perdão...

Droga!Eu deveria ter ficado quieta!

Senhor Hordos me olhou com fúria nos olhos e me desferio um violento tapa que me atirou no chão!

Em seguida ele me agarrou pelos cabelos novamente.

- Nunca mais,nunca mais fale sem minha autorização!!Nunca mais!!

- Agora,limpe tudo isso,troque-se,e vá embora!!

Ele disse isso e me empurrou com violência fazendo-me cair no chão.

Senhor Hordos virou-se,entrou novamente na outra sala e bateu a porta.

Eu me arrastei com dificuldade e me encostei na parede.

Meu corpo tremia,doia.Minha cabeça doia agora também!

O que eu estava fazendo ali?por que me submeti á aquilo?

Eu me levantei.Havia um pequeno banheiro ali onde encontrei alguns panos e produtos de limpeza.

Limpei todo o chão e vesti minha roupa.

Eu ia saindo quando a porta da sala se abrio e Senhor Hordos me chamou:

- Espere!

Eu me voltei para ele.

- Tome,quero que use esse anel!- disse ele me entregando um anel dourado com um símbolo estranho -

- Use-o sempre!Não o tire nunca!

- Sim senhor.

- Agora,vá!

- Sim senhor.

Sai e bati a porta.

Eu nunca mais voltaria ali!Nunca mais queria ver aquele monstro na minha frente!

Tanta humilhação,tanta dôr,tanto sofrimento!

Aquilo era loucura!

Narrei tudo para Su.Ela não acreditou!

- Menina!!Que loucura!!O homem é da pesada mesmo!

- Eu nunca mais quero saber disso!Para mim chega!!

Uma semana se passou e nada de sinal do Senhor Hordos.

Eu entrava no messenger e ficava esperando sua chamada.

Aguardava uma ligação no celular,nada!

Quinze dias depois o celular tocou,era ele!

Atendi prontamente!

Sim senhor?

- Amanhã,na minha casa,vinte horas!

Desligou!

Que atrevimento!Eu nunca mais iria lá!

Fui dormir,amanheceu,as horas foram passando.

Eu não vou,eu não vou!

Dezesseis horas.

Eu não vou!

Dezoito horas.

Não vou!

Dezoito e trinta.

Não vou!

Desenove horas!

Sai correndo de casa,tomei um taxi pois de ônibus iria me atrazar!

As desenove e cinqüenta e cinco eu toquei a campainha!

- Entre!- disse ele abrindo a porta -

Novamente na sala de instrumentos.

- Tire sua roupa!

Nua,de novo!

Tinha ali um instrumento chamado "cepo".

Um tablado de madeira dividido em duas partes que eram unidas por uma dobradiça,que continha orifícios para se prender os pés,as mãos e a cabeça,dependendo da posição usada.

Senhor Hordos me mandou sentar no chão em frente ao cepo.

- Coloque seus tornozelos e seus pulsos nas cavidades!- ordenou -

Eu o fiz,ficando com o corpo dobrado para frente ,meus pulsos nas cavidades centrais,meus tornozêlos nas cavidades laterias.

Senhor Hordos fechou a outra metade do cepo e colocou um cadeado no lado posterior ao da dobradiça.

Isso formou os orifícios,impedindo que eu tira-se os pés e as mãos dali.

Em seguida ele colocou uma mordaça de bola em mim.

Achei que já era o suficiente,mas não!

Senhor Hordos foi ate a bancada e trouxe de lá um instrumento em madeira.

Dois cabos de madeira de de uns 80 centímetros cada qual com cordas nas pontas e um pedaço de corda que os unia no centro.

Ele passou cada um dos cabos pela frente do meu corpo,colocando um na parte superior dos meus seios,outro na parte inferior.

Em seguida ele fez amarrações nas minhas costas de forma que conforme ele apertava as cordas os cabos comprimiam meus seios inflandoos.

Por ultimo ele fez uma amarração na corda central que unia os cabos,apertando meus seios mais ainda.

Os cabos feriam meus seios e as cordas feriam minhas costas,provocando uma dôr horrivel e desconfortável!

Mas não iria ficar por ai!

Senhor Hordos mais uma vez foi ate a bancada e retornou com uma peça em borracha,algo que lembrava um cone roliço de uns 20 centímetros de comprimento.

Ele começava na ponta com o diâmetro de um polegar e ia ficando grosso na base ate chegar a uma polegada e meia mais ou menos!

No final havia uma baze quadrada para mantê-lo em pé.

Senhor Hordos passou algo na ponta do objeto,se abaixou atráz de mim,colocou uma das mãos sob minhas nádegas e suspendeu meu corpo.

Em seguida ele foi abaixando devagar!

Para meu desespero,eu comecei a sentir a ponta do tal objeto tocando meu ânus!

Senhor Hordos soltou o meu corpo,e o seu peso foi fazendo o objeto penetrar meu ânus,causando uma dôr horrível!

Eu hurrei e chorei de dôr!

Aquilo foi entrando dentro de mim,me violando,me estuprando!

Que dôr,que humilhação,que desespero!

Mais uma vez Senhor Hordos saiu da sala me deixando ali,sofrendo sozinha!

Por que aquilo?O que eu fazia ali?

A posição em que estava me causou uma dôr nas costas horrível!

Meus seios latejavam e eu não podia me mover pois o objeto em meu ânus penetrava mais ainda!

Sofrimento,choro,tristeza,arrependimento,dôr!

Horas á fio ali,sentada no chão,presa no cepo!

Senhor Hordos veio,me soltou.

- Vista-se e vá!

Eu me sentia um verdadeiro zumbi!Sem iniciativa,sem vontade!

Senhor Hordos tomou um controle total sobre mim.

Por mais que ele me tortura-se me maltrata-se,eu o enaltecia em minha pagina de relacionamento!

Eu não sabia,mas ele controlava tudo em mim!

O anel que ele havia me dado continha uma escuta em seu interior e com isso ele monitorava tudo o que acontecia comigo!

Ele ouvia tudo,ou diretamente ou gravado durante o dia.

Chegar em casa para mim era um martírio pior do que os que o Senhor Hordos me submetia!

Uma tarde chegava em casa do cursinho,quando pude ouvir já da rua meus pais brigando.

Troca de insultos,de acusações!Os dois bêbados,quebrando o que tinha na casa.

Eu não suportava mais aquilo!

Por que eu não me matava?Faltava coragem!

Eu senti que o meu relacionamento com Senhor Hordos estava causando mudanças em meu temperamento!

De uma certa forma eu estava ficando mais controlada,mais centrada!

Mas ele iria mudar muito mais coisas em mim!

Foi numa semana em que haviam ocorrido muitas brigas em minha casa,tanto entre meu pai e minha mãe como entre eu e meu irmão e irmã!

Tive problemas no cursinho tambem!

Eu estava acabada,morta,machucada!

Senhor Hordos me chamou,eu fui ate a casa dele.

Mais uma vez nua no meio da sala.

Mordaça de bola com focinheira.

Grilhões entre as pernas machucando as coxas e agora um instrumento novo!

Uma tábua de um metro e meio de comprimento por 30 centímetros de largura.

Tinha orifícios onde se passavam cordas.

No centro dela havia um pequeno quadrado de madeira de 20 centímetros,uma rosca sem fim e do outro lado uma manivela.

Ele encostou a tábua nas minhas costas,passou meus braços por tráz dela,amarrou cordas nos meus pulsos prendendo minhas mãos para frente.

Em seguida se valeu dos orifícios na tábua para passar cordas e fazer amarrações junto aos meus seios e na parte de tráz do meu pescoço.

Preza a tábua em meu corpo,ele rodou a manivela,empurrando o pequeno quadrado de madeira,fazendo-o comprimir a minha coluna.

Eu gemia tentando respirar.

Faltava o toque final!

Duas pequenas latas de metal no chão,latas de conserva sem rótulos onde sobre as quais ele me obrigou a ficar de pé!

Senhor Hordos saiu novamente...

Naquele dia eu não liguei para a dôr física!

Comecei a meditar sobre como era a minha vida,o descaso de meus pais,de meus irmãos.

O tudo que eu passava e era obrigada a viver na minha vida!

Minhas pernas começaram a tremer,a dôr sob os pés era insuportável e a pressão nas costas também!

Um desespero tomou conta de mim!

Dôr física misturada a dôr na alma!

Comecei a chorar,a berrar,entrei em pânico,perdi o equilíbrio e cai de sobre as latinhas,cambalenado para tráz e batendo com a peça de madeira na parede,ferindo minhas costas!

Eu cai no chão,chorando,berrando de desespero!

Senhor Hordos saiu correndo da sala.

Eu me debatia,hurrava,chorava!

- Calma! - disse ele -

Rapidamente ele me soltou e tirou a mordaça.

Eu não conseguia parar de chorar,estava fora de mim!

- Calma!- Senhor Hordos me abraçou -

Ele percebeu que eu chorava devido a dôr na alma e não pela dôr física!

Ele me pegou no colo e me levou para a outra sala.

A decoração ali era totalmente diferente do resto do apartamento!

Uma decoração luxuosa,de bom gosto.

Senhor Hordos me envolveu com uma manta,deu-me vinho para tomar e me abraçou.

Ficamos ali em silêncio.

Passado algum tempo eu já havia me recuperado.

- Esta melhor?- perguntou ele-

- Sim,senhor.

- Va se vestir e volte aqui.- disse ele serenamente -

- Sim senhor.

Eu me vesti e retornei a sala como ele havia mandado.

- Ouça o que vou lhe dizer.- disse -Nunca mais você ira olhar para o chão,nunca mais você ira andar de cabeça baixa e de agora em diante você ira olhar as pessoas nos olhos!Entendeu?

- Sim senhor!

- Nunca mais deixe ninguem fazê-la sofrer,entendeu?

- Sim senhor.

- Tome aqui - disse ele me entregando um cartão -,vá amanhã ao shopyng,procure essa pessoa nessa loja,faça tudo o que ela mandar,certo?

- Sim ,senhor.

Senhor Hordos estava diferente,tanto no olhar como no jeito de falar.

- Agora ,vá!- disse ele,dando-me um beijo no rosto -

No dia seguinte fui ate a loja indicada no cartão.

Para a minha surpresa tratava-se de um salão de beleza.

Eu deveria procurar por Rachel.

Foi a própria quem veio me atender.

- Senhor Hordos mandou você,não?

- Sim.

- Só um segundo meu amor,eu já a antenderei!

Rachel deveria fazer uma sessão de embelezamento comigo,tudo por conta de Senhor Hordos.

Enquanto ela me preparava e conversavamos,uma nova mulher chegou ao salão.

Chamava-se Leila.

Ela também iria ajudar na minha transformação!

Com o passar das horas descobri que ambas haviam sido escravas de Senhor Hordos e tanto uma como a outra o amavam e respeitavam!

Fizeram minhas unhas,meus cabelos,maquiagem.

Leila me levou as lojas de roupas,onde fizemos muitas compras.

Eu era agora uma nova mulher,e realmente,elas conseguiram me mostrar o quanto eu era linda!

Senhor Hordos havia visto isso na cam ,naquela noite!

Mas eu nunca havia enxergado a minha própria beleza!

Minha auto estima e minha atitude mudaram tanto que cheguei a dar uma lição em alguns pit boys idiotas no cursinho.

Usei dos conhecimentos de pontos vulneráveis do corpo para dôr que havia aprendido com Senhor Hordos,e derrubei um moleque idiota!

Muitas garotas e garotos se aproximaram de mim procurando por minha amizade,inclusive um rapaz chamado Thiago.

Certa tarde ele perguntou se poderiamos conversar em particular.

Fomos ate a lanchonete do cursinho.

- Olha Denise - começou ele - Eu sei o que você faz,o que você é.

- Como assim?- perguntei assustada -

- Esse anel que você usa,com esse símbolo.

- O que tem ele?- perguntei -

- Esse é o símbolo do BDSM,e você é uma dominadora.

- Ta maluco carinha?Que papo é esse?

- Olha,eu sei,eu vi você derrubando o babaca do Ronaldinho,você é uma senhora,uma Domme!

Eu ri para disfarçar.

- Olha Denise,eu sou um submisso,eu tinha uma senhora a quem eu servi por anos,mas ela teve que ir embora para a europa e me liberou.

- Desde então eu nunca mais encontrei nenhuma senhora para servir!

- Para de me chamar de senhora garoto!

- Por favor Denise,me deixe te servir,eu serei fiél,sincero,serei seu escravo!

Eu me senti constrangida com aquilo.

Pessoas estavam chegando a lanchonete e se sentando proximas a nos.

Eu não queria que elas ouvisem o nosso papo e eu tinha que me livrar de Thiago!

- Olha,ta bem,eu vou pensar,ta?Agora some,me deixa em paz!

- Obrigado senhora!- disse Thiago com um sorriso nos olhos-

Loucura!Eu?Dominadora?

Uma simples escrava??

Loucura pior era a neuroze que o anel provocava em mim!

Eu achava que Senhor Hordos tivesse poderes especiais para descobrir tudo o que eu fazia e vivia!

Temi que ele descobrise que alguém me chamara de Domme,que se propora ser meu escravo!

Dito e feito!O celular toca,era Senhor Hordos!

- Quinta feira as vinte horas na minha casa!

Ele iria me matar,com toda a certeza!

Chegada a quinta feira,campainha,entrei.

Senhor Hordos me recebeu com um beijo no rosto e uma voz tranqüila.

- Denise,hoje eu irei jantar aqui com uma dominadora e depois irei passar a noite com ela!Trata-se de uma pessoa muito especial para mim!

- Sim ,senhor.

- Muito bem,venha cá!

Ele me levou ate a sala pessoal.

La ele me entregou uma caixa de papelão grande.

- Quero que vista isso e se maqueie,quero você linda,entendeu?

- Sim,senhor.- respondi segurando a caixa -

- Ótimo!Só venha quando eu a chamar,certo?

- Sim,senhor!

- Muito bem!- ele disse isso e saiu fechando a porta -

Eu abri a caixa.Dentro dela havia um macacão de latex preto,um par de sandálias com um salto altíssimo.

Vesti o macacão com uma certa dificuldade mas enfim ele se modelou no meu corpo.

Calcei as sandálias,me maquiei e arrumei meu cabelo.

O tempo foi passando e eu fui ficando nervosa!

Descobri que estava com ciúmes de Senhor Hordos!

Ciúmes doentio!

A campainha tocou,deveria ser a vagabunda da Domme chegando!

Comecei a andar de um lado para o outro da sala.Mãos suando,coração batendo rápido!

Ele queria o que?Tranzar na minha frente com a vadia?

Me fazer de peça de tortura para ela?

Estava com raiva,indignada!!

Ciúmes,ciúmes,que ódio!!!

Passado mais um tempo a porta da sala se abrio.

- Venha Denise.- disse Senhor Hordos me oferecendo o braço -

Eu não entendi nada,apenas peguei no braço dele e o acompanhei.

Quando chegamos na outra sala deparei com uma decoração toda diferente!

Tudo com motivos orientáis.

Incensos queimando,uma mesa posta para dois com jantar a luz de velas e um casal de orientáis vestidos a carater que iriam servir.

Senhor Hordos puxou a cadeira para que eu me senta-se.

Eu não entendi!O que ele estava fazendo?Onde estava a tal Domme?

- Você esta linda!- disse ele sentando á minha frente -

- Fique á vontade para falar o que quiser. - disse ele -

- Onde esta a sua convidada especial,senhor?

- Esta aqui,na minha frente.

Lágrimas escorreram dos meus olhos.

- Eu?

- Sim!

- Mas eu...

- Pssiiuuu!!!- fez ele levando o indicador ate os lábios - Não diga mais nada!

Ele fez um gesto para o casal de orientáis e eles nos serviram.

Jantamos,depois dançamos ao som de Billie Holiday.

- Passaria essa noite comigo?- perguntou Senhor Hordos -

- Claro meu senhor,sera um prazer!

Ele me beijou,um beijo com carinho,com paixão.

Antes de irmos para o quarto ele me disse:

- Tire esse anel e me devolva.

- Por que meu senhor?

- Você não precisa mais dele agora!

Eu tirei o anel e o devolvi em sua mão.

- Tenho outro presente para você.- disse ele,pegando uma caixinha comprida -

Eu a recebi de suas mãos e a abri,dentro havia uma pequena chibata preta.

- Mas...o que é isso meu senhor?

- Não sou mais seu senhor!É chegada a hora de você conduzir alguém!

- Eu?

- Sim!E eu sei que essa pessoa já existe...em algum lugar!

Ele disse isso,sorrio,me puxou pela cintura e me beijou novamente.

Fomos para o quarto e eu me entreguei para o homem que havia me libertado para a vida!


















- Não!- respondeu ela


3 comentários:

Maeve-Rainha disse...

Cara... simplesmente S E N S A C I O N A L.... amei... adorei... Leitura que prende nossa atenção do começo ao fim.

Você é demais, Dom Kabalta.

Fazia tempo que eu não aparecia por aqui, preciso voltar muitas e muitas vezes.

Um grande beijo, meu ANJO NEGRO...

Mystica disse...

Realmente fantástico!!!
Virei fã...

Luna Moreira disse...

Gostei demais! Não queria que acabasse! Tem mais uma fã!
bjs
Luna